sexta-feira, 13 de julho de 2012

Agricultores familiares são responsáveis por 90% da produção de graviola na Bahia


O fruto da graviola está presente na maioria dos pomares do Sul da Bahia e desponta como um forte gerador de renda para os agricultores familiares, que incentivados, pela Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola S.A. (EBDA), vêm apostando na fruticultura. Com 1.300 hectares de graviola plantados e produtividade de 15 toneladas por ano, a região é responsável por 85% da produção brasileira, sendo 90% oriunda da agricultura familiar.
O município de Wenceslau Guimarães, localizado no Território de Identidade Baixo Sul, é o maior produtor do fruto, com 510 hectares plantados, seguido de Presidente Tancredo Neves, Ibirapitanga e Una. De acordo com o coordenador regional de fruticultura da EBDA, Sândalo Marcos Barreto, a Empresa realiza orientações e visitas técnicas às áreas de produção, além de treinamento e capacitação para agricultores familiares e assentados de reforma agrária. “O interessante da graviola é a boa adaptação para o agricultor familiar, porque em pequenas áreas se consegue ter uma renda satisfatória”, disse Barreto.
A proposta da EBDA é formar pequenos grupos de produtores de graviola, em diferentes municípios da região, e oferecer um acompanhamento mais sistemático, com visitas periódicas. “Esse trabalho vai fazer das propriedades assistidas vitrines para que outros agricultores próximos acreditem nas tecnologias repassadas pela Empresa”, argumentou Barreto, acrescentando que outro objetivo da EBDA é formar o agricultor multiplicador, selecionando aqueles que têm mais facilidade de absorção de informação para repassar os conhecimentos técnicos entre os agricultores da comunidade.
Ainda segundo Barreto a comercialização, no Sul da Bahia, é quase que 100% do produto in natura, com a venda da massa da graviola para as fábricas. “Pretende-se mudar essa realidade, organizando e incentivando o agricultor a beneficiar o produto, com o fabrico de sorvete, frutas cristalizadas, polpa”, disse Barreto.
Com o objetivo de promover o debate sobre o assunto, o engenheiro agrônomo Sândalo Marcos Barreto participa do seminário “Viabilização Econômica da Graviola”, que acontecerá no município de Gandu, nesta quinta-feira (12), no auditório do antigo Colégio Modelo.
O seminário será realizado pela Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) e reunirá produtores de graviola e técnicos que atuam na fruticultura. A programação do evento informa que o público participará de três palestras: “Perspectivas de Mercado da Graviola”; “Qualidade da Massa da Graviola para Comercialização” e “Novas Técnicas de Manejo para a Alta Produtividade da Graviola”

Nenhum comentário:

Postar um comentário